Home Policial Após laudo, marido é procurado por matar grávida, na PB

Após laudo, marido é procurado por matar grávida, na PB

por admin

O principal suspeito de ter matado Pâmela do Nascimento, de 27 anos, que estava grávida, é o marido da vítima. Pâmela foi assassinada na noite de segunda-feira (7), em Poço de José do Moura, no Sertão da Paraíba, e, de acordo com a Polícia Civil, a versão contada pelo suspeito em depoimento é “totalmente mentirosa”. O homem também é suspeito de provocar um aborto na vítima após agressões, em fevereiro.

O principal suspeito de ter matado Pâmela do Nascimento, de 27 anos, que estava grávida, é o marido da vítima. Pâmela foi assassinada na noite de segunda-feira (7), em Poço de José do Moura, no Sertão da Paraíba, e, de acordo com a Polícia Civil, a versão contada pelo suspeito em depoimento é “totalmente mentirosa”. O homem também é suspeito de provocar um aborto na vítima após agressões, em fevereiro.

No dia do crime, vizinhos relataram ouvir o momento em que ela foi espancada e informaram aos policiais que ela, provavelmente, teria sido espancada até morrer. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado, mas constatou que Pâmela não havia resistido aos ferimentos e já estava morta.

Quando o suspeito foi levado até a delegacia, relatou que não tinha espancado a mulher. O homem foi liberado após depoimento. De acordo com o delegado Danilo Charbel, através de documentos e relatos testemunhais, foi constatado que, no dia 12 de fevereiro de 2020, o homem já havia provocado um aborto em Pâmela após agredi-la.

Segundo o delegado Glauber Fontes, da Delegacia de Homicídios de Cajazeiras, o suspeito não foi preso em flagrante no dia do crime porque as lesões da vítima não eram aparentes. “Após o laudo, ficou constatado que a causa da morte foi uma hemorragia interna provocada por várias lesões do abdome da vítima”, disse.O homem deve responder por feminicídio e aborto sem consentimento da vítima. O mandado de prisão do suspeito já foi expedido e ele é considerado um foragido da justiça. “A vítima foi barbaramente assassinada. O indivíduo demonstrou uma frieza fora do comum”, relatou o delegado.

Postagens Relacionadas

Faça um comentário